RAA vai ter em 2023 um sistema de alerta de cheias

Alonso Miguel, Secretário do Ambiente e Alterações Climáticas, já anunciou que a RAA vai ter em 2023, um sistema de alerta de cheias em bacias hidrográficas de risco para minimizar a possibilidade de inundações. Tem um valor de 1,9 milhões de Euros, no âmbito de uma candidatura feita ao programa comunitário REACT-EU. Sua implementação estará concluída até 2023, sendo que, para 2022, já há verba inscrita no valor 700 mil Euros. O problema é que este assunto não é novo. É bem conhecido por todos. O Governo Regional jogar dinheiro público sobre o problema, não resolve o problema. Só se fala nisso quando é mediático, quando causa elevados danos materiais e se houve mortos.

As ribeiras nos Açores têm um regime torrencial temporário. Acontecendo uma elevada precipitação (nós devemos estar atentos aos alertas do IPMA e da Proteção Civil), sabemos que grande parte das nossas ribeiras são estreitas, tem de se considerar o declive, as bacias hidrográficas são de pequena dimensão e o tempo de concentração (tempo em que as ribeiras levam a escoar às águas pluviais) é pequeno. Por tudo isso, o risco de uma rápida cheia causando inundações e derrocadas, é real.

A Proteção Civil recomenda a todos atempada limpeza e desobstrução dos sumidouros, valetas e outros canais de drenagem. A limpeza das ribeiras é um dever fundamental. As Juntas de Freguesia tem feito um bom trabalho neste assunto. Jogar lixo no curso das ribeiras, é um crime ambiental que tem de ser combatido. Algumas vezes, por algum motivo, foi a própria Câmara Municipal que aprovou construções em zonas de risco.

Categoria:Política e Partidos