Vulcão das Canárias pode gerar tsunami transatlântico

O vulcão Cumbre Vieja, localizado na ilha de La Palma, nas Canárias, adormecido desde 1971 (a anterior foi a 1949), começou a dar sinais de atividade moderada nos últimos dias, o que levou as Autoridades espanholas a acionarem Alerta AMAERLO de erupção (no dia 14).

O MetSul Meteorologia avisa que, desde de 11 de setembro, os movimentos sísmicos da região aumentaram significativamente. “Nos últimos dias, além de aumentar o número de movimentos sísmicos, sua intensidade aumentou com sismos que tiveram magnitude superior a 3. A profundidade dos epicentros também diminuiu, em média, de 30 Km para 12 Km. Só ontem foram registados mais de 100 sismos e 1 sismo teve profundidade de apenas 4 Km”. Isto pode indicar uma ascensão de magma.

Como geralmente as erupções são precedidas por um aumento de sismos, o Alerta AMARELO se mantém. Apesar de a Comissão Científica do Pevolca ter informado que, nesta sexta feira (no dia 17), houve diminuição da atividade sísmica, os especialistas ainda não descartaram a possibilidade da reativação vulcânica.

O Instituto Geográfico da Espanha (INGE) não espera uma erupção imediata, mas que a situação pode mudar rapidamente. Segundo o IGN, foram detetados 4 222 sismos no Parque Nacional Cumbre Vieja, em volta do vulcão. A diretora do INGE explicou que a situação atual é “muito energética” quando comparada com a situação ocorrida há 10 anos. Em 2011, El Hierro também sofreu uma tensão sísmica que durou várias semanas e que desencadeou uma erupção vulcânica subaquática. Os sismos de agora libertaram em 3 dias a mesma quantidade de energia que foi solta, ao longo de semanas, em 2011.

A última erupção vulcânica nas Canárias foi em 1949 - o vulcão Teneguía, que expeliu lava durante mais de três semanas. O subsolo de La Palma ficou adormecido até 2017, quando a atividade sísmica recomeçou com pequenas crises sísmicas e mais frequentes.

Alerta no Atlântico

Carlos Teixeira, pesquisador do Instituto de Ciências do Mar da UFC, disse ao portal UOL que estudos comprovam que o vulcão está dando sinais de erupção.  O risco de um tsunami transatlântico parece ser remoto. Caso haja uma erupção explosiva, há a possibilidade de haver um tsunami transatlântico, mesmo que seja uma pequena erupção. Se a erupção acontecer, pode não ser explosiva. Ainda assim, ela pode gerar um tsunami. Um possível desmoronamento suficiente grande causado pela erupção, pode gerar um tsunami.

Para os Açores, este vulcão pode representar um possível perigo. Embora não tenhamos Plataforma continental do arquipélago, a Autoridade Regional de Proteção Civil deve ficar em Alerta. A Vigilância sismovulcânica é fundamental. Sugerimos que cada um de nós, deve estar bem informado e em alerta preventivo.

Categoria:Educação, Ciência e Cultura