O Caso do Thor B - Foi uma decisão Boa?

O barco que foi escolhido por Sua Alteza Real (SAR) fazer as ligações ao Porto da Casa, na Ilha do Corvo chama-se Thor B. É um navio da classe dos Platform Suppliers Vessels (PSV). Thor B é um navio robusto, potente, com grande capacidade de navegabilidade e muita capacidade de manobra.

Excelente navio concebido para a sua missão (PSV), dizem os entendidos. A minha dúvida é, se é o adequado para esta missão. Mesmo que seja reconfigurado, a operação no Corvo não é fácil. Dito de outra forma, a decisão foi puramente técnica ou política?

Ele esteve muito tempo parado por contestação judicial do concurso. Eram os inimigos do Corvo e de SAR. Aproveitou-se esse período para fazer melhoramentos e vistoria. Sim, a grua teria de ser diferente. E o tempo que está parado, sem utilização, deve ter custos. Paga o Bolieiro com PRR para a RAA.

Somente não opera no Porto da Casa, se as condições de mar não o permitir. Mas, nesse caso, não dá para nenhum outro barco. Nem mesmo para o NRP Tridente.

SAR pode dizer o que quiser, mas o Lusitânia é o melhor barco para operar no Porto do Corvo. Ele trabalha de olhos fechados, mesmo com condições meteorológicas ruins, melhor do que qualquer outro barco que existe nos Açores. Não adianta clamar: Mentira, Mentira, É Mentira. 

Uma delas é o Calado, e depois, a Tonelagem do navio, um navio pesado. A própria grua do navio é lenta na movimentação, o que de inverno, com muita "puxada" torna a operação lenta. E, em algumas situações, pode tornar-se perigoso. Mas, SAR é que é o perito.

Foi dito por SAR que o Thor B “era um barco para operar 365 dias por ano”. Era um barco do outro mundo. Agora SAR devia explicar como se resolve os problemas. É por isso, é que sou republicano e democrata.

Nas Lajes das Flores, poderia ser criada uma Zona Armazém para o reabastecimento da Ilha do Corvo - conforme as necessidades - a partir do porto das Lajes das Flores? Podia ter em permanência, um barco de carga concebido de raiz para as ligações Flores / Corvo. Ou, quiçá, um barco polivalente de passageiros e de carga.

O problema do Lusitânia é ser apenas 1 único barco. Se ele tiver uma avaria ou um acidente, é um GRANDE problema. De verão, navegar entre Horta / Corvo faz-se bem. Mas, de inverno, com a carga máxima de 120 toneladas, vê-se a tripulação a rezar. Também é Verdade que este problema já se arrasta à muito - com os anteriores Governos Regionais.

Não sabemos o calado do Thor B sem água de lastro e com a carga máxima de convés. Mas, de inverno, terá que navegar com um calado de 4 metros, e depois, próximo do Corvo, tirar lastro. O que sabemos é o que está no Marine Traffic.

Uma coisa podemos ter a certeza, a tripulação do Thor B vai fazer o seu serviço e dar todo o seu melhor - tal como todos os que por lá já andaram. No caso do Corvo, nunca se deve por em causa as tripulações, mas criticar sim, quem manda. Neste caso, os políticos eleitos, os nossos queridos líderes. Os políticos e Partidos convencidos da sua Certeza, e armados em . . . técnicos e especialistas.

Categoria:Espaço & Opinião