Porto da Horta e o Socialismo municipal

Em Comunicado de Imprensa, o PS Faial já condenou “as graves acusações” do Deputado Regional do PSD, Carlos Ferreira, a propósito das conclusões do Estudo do LNEC, referentes às Obras de Reestruturação do Porto da Horta. Acho que é um caso de Polícia.

Duarte Ponte afirmou “é isso ou nada”. O Vasco Cordeiro disse acertadamente “deitar dinheiro ao mar”. O Grupo Municipal do PS e o PS Faial, sempre abanar o rabo, e o Executivo municipal, a fazer piruetas “de 180 graus”. A Oposição andou 4 anos a apanhar bonés. A qualidade não dá para mais.

Desde sempre que, enquanto os Governos do PS se empenharam em encontrar a melhor solução para o Porto da Horta, outros preocuparam-se apenas em atacar o Governo”, garante o PS Faial. Quem disse isso deve ser tanso ou pensar que somos tansos.

Facto é que as fases das Obras de Reestruturação do Porto da Horta tem sido uma borrada após burrada. Quem é que se empenhou em encontrar a melhor solução para o Porto da Horta? PS Açores? PS Faial? Grupo municipal do PS? Executivo da CMH? Os deputados eleitos pelo PS pelo Faial? Igualmente, a Oposição revindicar e clamar, sem trazer ideias e propostas concretas, sem trazer alternativas ou soluções, não pode ser.

O PSD Faial diz que os Estudos encomendados pelo anterior GRA / Portos dos Açores, são “um fato feito à medida”. Mas, o PS Faial recusa e usa o argumento de autoridade - a credibilidade do LNEC e a idoneidade dos técnicos que analisaram as propostas apresentadas. Sabemos que o LNEC e seus técnicos são competentes, idóneos e credíveis, o que não sucede com a Política-partidária. Todo o escrutínio sério e competente, os incomoda. E, se o Povo perceber as suas jogadas, estão tramados.

Tem a fineza de dizer que “este Estudo vem corroborar, mais uma vez, a informação técnica de que não há aumento de agitação marítima no Porto da Horta, provocado pelas intervenções efetuadas e a efetuar.” Isto é contrariado pelos factos (fotos, vídeos, operadores do porto, iatistas, desportistas). Não é mero conhecimento empírico. “Este Estudo vem corroborar” aquilo que lhes convém, que seja do seu interesse, que seja apaziguador de críticas, que lhe traga os Fundos comunitários. É assim desde 1468.

A necessidade de intervenção no Porto da Horta é um facto bem visível. No entanto, tem de ser uma decisão puramente técnica, sem contaminação partidária. Deixem o LNEC trabalhar. Deve ser feita por pessoas sérias, idóneas e competentes. Tem de ser um projeto bem orçamentado. Tem de ser aceite por larga maioria dos interessados.

Com a atual orientação do molhe Norte, os remendos não passam de remendos, e isso, sai caro aos contribuintes. Os responsáveis declinam responsabilidades, não querem ser identificados, acobardam-se e não assumem as suas responsabilidades.

Categoria:Espaço & Opinião